MARCO AURÉLIO GONZAGA


O professor da UFMA em Imperatriz e advogado Marco Aurélio Gonzaga Santos, natural de Dom Pedro, radicado há mais de 18 anos em Imperatriz, ex-Procurador-Geral do Município de Imperatriz, na gestão Jomar Fernandes e Conselheiro Estadual da OAB-MA, assinou ficha de filiação ao PCdoB em Imperatriz. Marco Aurélio é professor de direito público na UFMA, Campus de Imperatriz, é advogado especializado em direito público e tem atuação jurídica e política em Imperatriz, Porto Franco e Dom Pedro. Marco Aurélio diz que deu sua contribuição ao PT de Imperatriz antes e depois do governo Jomar Fernandes, ao PDT nas duas campanhas do ex-governador Jackson Lago, nas eleições de 2002 e 2006 em Imperatriz, no Maranhão do Sul e no Maranhão Central - em sua cidade natal, Dom Pedro - onde empunhou a bandeira do PDT. O professor Marco Aurélio entende que Flávio Dino reúne as condições necessárias para “mobilizar o povo do Maranhão e tornar viável um projeto de desenvolvimento econômico e social do estado, que infelizmente amarga os piores índices de desenvolvimento do país”. Flávio Dino e Marco Aurélio juntos, defenderam como advogados o ex-governador Jackson Lago, quando da tramitação do processo que lhe moveu Roseana Sarney. “Continuo a ter muito respeito e consideração pelo Dr. Jackson Lago, mas na política é preciso medir bem o tempo das coisas e hoje ouso dizer que Flávio Dino também reúne as condições necessárias para disputar o cargo de governador do Maranhão” disse. Marco Aurélio faz questão de assinalar que, além de Flávio Dino, tem muitos outros amigos no PCdoB e, por isso, acha que fez a escolha certa. “Somos inquestionavelmente o que há de novo na política do Maranhão”, diz.
Além de um grande profissional, o advogado Marco Aurélio Gonzaga é um grande caráter e a política de nossa cidade ganha com a sua decisão de fazer parte de um grupo novo na política do Maranhão. E a candidatura de Flávio Dino se fortalece cada vez mais.

4 Response to "MARCO AURÉLIO GONZAGA"

  1. Meu querido amigo Isnande Barros, para mim é uma honra imensurável poder postar um comentário a respeito de suas publicações...
    Essa foi uma noticia que muito me alegrou, a filiação ao PCdoB do advogado professor e amigo Marco Aurélio, mesmo porque acredito que as pessoas de caráter e ética também devem se envolver na politica. Imperatriz carece ter novas opções, que surjam enfim, novas lideranças politicas, pois as figurinhas carimbadas que atualmente encontram-se no cenário já mostraram para que vieram. Abaixo a falta de respeito para com o povo de nossa linda cidade. Que venham os dias bons. Parabéns a todos que fazem parte da luta contra a corrupção.

    Anônimo says:

    Grandiosa tua observação, Mônica Araújo!
    Marco Aurélio foi meu aluno no antigo Colégio Imperador.Desses alunos que tornam a nossa caminhada mais suave.Estudioso.Crítico.Cavalheiro...
    Seu nome somará a outros companheiros dignos do PC do B.
    Um fraterno abraço socialista!
    prof.Magno Urbano

    Anônimo says:

    Acompanhando de perto o cenário político maranhense, as análises não podem ocorrer no nefasto e empobrecido esquema demarcado entre preto e branco, céu e inferno, bonito e feio, isto é, faz-se necessário um modo de pensar para além do bem e do mal.
    Nesse aspecto, o que se percebe é que desde o pleito eleitoral de 2006, quando da derrota de vários coronéis da política brasileira, principalmente do norte e nordeste do país, diga-se família Sarney, família Magalhães na Bahia, o grupo de Renan Calheiros.
    Entretanto, alguns dos grupos de oposição que chegaram ao poder frustaram o espírito motivador gerado por suas campanhas, devido as constantes e avassaladoras formas inapropriadas de gestão da máquina pública.
    No Maranhão, a gestão de Jackson Lago foi um desastre gigantesco, basta lembrar das formas como os professores foram tratados, os policiais militares e civis, a educação, a segurança, a saúde, o esporte e lazer. Além de nomes que o Maranhão jamais esquecerá como Aziz, Aderson Lago e outros Lagos, Weverton Rocha, que juntos usurparam milhões de reais dos cofres públicos e produziram efeitos nefastos na gestão pública, assumindo uma cultura pior do que tinha feito a direita ao longo dos últimos 45 anos.
    A partir de então, assistimos uma nova dinâmica entre os poderes judiciário e o executivo que resultou em processos de cassação de alguns desses governadores, proporcionando a volta da direita tão conservadora quanto o grupo de quem conseguiu de volta o poder, e que nessa volta apresenta enormes atrapalhos na gestão do Estado. Pior, os slogans ressaltam a volta, e, também a ética, o trabalho (qual?).
    O que vemos com todos esses acontecimentos é a produção de enormes transformações da política com efeitos avassaladores, materializados entre outras coisas pela crise da representação política, materializada pela aversão à política, materializada pelo aumento da dúvida e do questionamento ao ofício tradicional da política, que entre outros elementos, como o esvaziamento de partidos e a perda da ideologia de alguns destes, com um troca-troca de legendas abrupto.
    Com isso, tanto o governo jackson como o governo que agora se instala, demarcam modos nada apreciados de condução da gestão pública.
    Nesse aspecto, a linguagem de ambos os grupos em nada parece conseguir fazer frente as mudanças culturais que se passam no Maranhão, no que há uma necessidade iminente, do nascimento de uma nova cultura política, o que a candidatura de Flávio Dino é uma realidade concreta, bem como do próprio crescimento do PCdoB, de suas alternativas de trabalho e da cultura política que o grupo está constituindo.
    Conforme leituras oriundas de uma perspectiva cultural da política, não vejo alternativa melhor para o Maranhão, do que este movimento que está abalando todo tecido social, visto a alternativa de materialização de um novo projeto de desenvolvimento para o Estado.
    O slogan “yes we can” (”sim, nós podemos!”), que ficou conhecido pela campanha de Barak Obama se expande a nível planetário e no Maranhão se concentra de modo bastante apropriado com a avaliação dos trabalhos do grupo do PCdoB e pela desenvoltura de Flávio Dino e da militancia do partido.
    Este último, alvo de avaliação dos orgãos que avaliam a performance dos parlamentares brasileiros, foi classificado como o quarto melhor parlamentar do Congresso Nacional, avaliação essa que não apontou nenhum dos senadores de nosso Estado como propício de boa desenvoltura.
    Portanto, está se materializando sob nossos olhos o nascimento de uma nova cultura política no Maranhão, que nunca se viu nesse Estado, que nos faz pensar que sim, nós podemos, todos nós maranhenses apostar, assumir a audácia da esperança por tempos melhores, por outros modos de vida que este Estado jamais viu.
    Sim, nós podemos.
    Ricardo André
    Mestre em Gestão Desportiva pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto-Portugal.

    Anônimo says:

    Muito boa análise do colega professor!
    Tudo indica que Flávio Dino chegará ao governo do estado pelas mãos do verdadeiro povo.
    Isso aconteceu nas eleições à prefeitura de São Paulo em 1988, quando Luiza Erundina, paraibana e professora universitária,derrubou as fortes correntes políticas ademaristas,janistas e malufistas, com um carro de som e um caminhão do Sindicato dos Metalúrgicos.
    Eu a conheci pessoalmente bem como sua dignidade e valor pessoal.
    Um fraterno abraço socialista!
    prof.Magno Urbano

Tecnologia do Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme