PONTE IV

"Não resisti à tentação de visitar aquela que pode ser considerada uma das maiores e mais importantes obras de engenharia da história da nossa cidade. A ex- ponte da Liberdade e atual Dom Afonso Felipe Gregory (homenagem mais que justa). Uma bela e gigantesca obra que nos libertará sim, mas das altíssímas taxas cobradas pela balsa da Pipes na travessia do Rio Tocantins. Só que na minha visita à ponte, uma coisa me chamou a atenção, mais, diria que roubou a cena. A gritante diferença na qualidade do serviço executado nos acessos dos lados maranhense e tocantino. Chega a dar inveja dos nossos vizinhos por causa da estrada mais larga, do guard rail bem sinalizado que se estende ao longo de todo o a cesso (que não é pequeno) dos popularmente conhecidos como "olhos de gato", mais modernos e colocados de uma forma bem mais interessante, além da "claridade" da estrada. Quando voltamos ao lado maranhense, vemos o quanto o serviço da Branca foi xoxo. Mais fraco que caldo de peteca, constatação esta feita portodos com quem eu cruzava. Uma estrada estreita, escura e mal sinalizada. Uma ponte sobre o riacho Cacau que não tem passagem para pedestres e uma rotatória que não passa de uma gambiarra. O Jackson levou o mérito de ter feito a ponte e a Roseana vai ficar com o demérito de ter construído um acesso mal feito. Bem feito para ela. Quem mandou subestimar mais uma vez a inteligência dos imperatrizenses. 
Wsclay Oliveira. E-mail: wsclay@uol.com.br
Não costumo publicar comentários dos nossos poucos leitores como postagem. Mas Wsclay Oliveira escreveu uma postagem, não um comentário. Vejamos.

7 Response to "PONTE IV"

  1. Anônimo says:

    Visitei a ponte ontem e constatei o mesmo fato, a falta de respeito com o povo de imperatriz é gigantesca, tomara que este mesmo povo dê o merecido troco a tanto descaso nas eleições de 2010...

    Marcelo Lira

    Thor says:

    Q o outro lado focou mais enfeitado, isso ficou mas vc querer falar q o lado do TO é mais largo aí vc está de piada. É a mesma coisa! meça vc se tiver dúvida.
    E gostaria que os recuros q o TO destinou a ponte fossem divulgados, assim como deve ser divulgado os empreendidos pelo MA. O MA q construiu a ponte praticamente, pq o TO praticamente só fez o acesso a ponte. Muito fácil para o TO né. Realmente quem mais deve comemorar é o TO que "não gastou" e ganhou um presente desses só o MA mesmo p/ investe em outro Estado

    Em tempo...O colega que postou o comentário tem toda razão, ontem levei a familia pra conhecer a boa nova e realmente é belissima a ponte, mas a diferença do lado maranhense é gritante em relação ao lado vizinho, no que diz respeito a segurança, o lado tocatino deu um show!!!

    Apareceu um deus da mitologa nórdica. Sendo deus, poderia sair do anonimato.
    Apareça sempre, Thor.

    Wsclay Oliveira says:

    Eu sou fã do Thor. Massa demais. De fato, o Maranhão ficou com a maior parte do ônus e o TO com o bônus da ponte. Isso é a análise técnica.

    Só que partindo para a análide política, o que a governadora tinha a fazer para conseguir algum mérito era o acesso, já que a ponte, como o povo diz: "é obra do jackson", sendo que ela mostrou todo o seu desdém pelo povo imperatrizense, construíndo um acesso feio e mal sinalizado. Quanto à espessura, na rotatória, que faz parte do acesso, tem-se a impressão de estar numa ciclovia.

    Jorge Furtado says:

    Caro Wsclay,

    So corrigindo e largura parece pista de Kart quanto a espessura da camada asfaltica, tenho minhas duvidas se passou de 100 mm.


    Jorge Furtado.

    Meu amigo Wsicley, você esqueceu de citar aquela "ganbiarra", um gerador de energia movido à óleo bem na rotatória, ou melhor naquele projeto de rotatória. O certo é que o governo deveria se justificar para a sociedade, porque acesso tão mal feito, se é porque a Br até a entrada do Conj. N. Vitória vai ser duplicada, daí irão fazer uma rotatória de verdade, alguma coisa, alguém do governo estadual que explique, a sociedade exige!

Tecnologia do Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme