ADALBERTO FRANKLIN

O editor imperatrizense Adalberto Franklin, da Ética Editora, é um dos convidados para debater a produção e distribuição do livro no Nordeste, na 9.a Bienal Internacional do Livro de Salvador, que ocorre de 16 a 28 deste mês na capital da Bahia.
No dia 22, ele será um dos expositores do painel “Breve panorama do livro no Nordeste”, do qual participarão mais oito editores nordestinos, com mediação de José Castilho, coordenador do Programa Nacional do Livro e da Leitura, do MEC. No dia seguinte, Adalberto Franklin fará um relato sobre sua experiência editorial, em mesa redonda que reúne, além dele, somente editores baianos, sob a mediação de Ricardo Oiticica, cátedra Unesco de Leitura e professor da PUC-Rio.
Essas exposições e debates fazem parte do “II Fórum da Rede Nordeste do Livro e da Leitura”, que nessa Bienal se reúne sob o tema “Reflexões sobre o livro na Bahia e no Nordeste”, sob promoção do Ministério da Cultura e da Secretaria de Estado da Cultura da Bahia.
Com o painel “Breve panorama do livro no Nordeste”, espera-se que seja apresentado “um panorama sintético das ações que acontecem em cada estado quanto ao investimento na cadeia produtiva do livro” (criação, edição, distribuição, venda e recepção), com o objetivo “trocar, criar interlocução entre parceiros, bem como equiparar as ações de cada estado da região, a partir de discussões que a Rede se proponha a realizar”.
Na condição de debatedores, estarão Aurélio Schommer (CBal) e Lucia Carneiro (FPC), da Bahia; Mileide Flores, do Ceará; Cineas Santos, do Piauí; Adalberto Franklin (Etica Editora), do Maranhão; Arnaldo Afonso (Editora Bagaço), de Pernambuco; Heitor, da Paraíba; Sergipe – Cláudia Stocker, de Sergipe; Wilma Nóbrega, de Alagoas; e Abimael Silva (Sebo Vermelho, do Rio Grande do Norte.
As discussões têm como fim o efetivo desenvolvimento e redação dos Planos Estaduais do Livro e Leitura que garantam a formação de uma frente nordestina sobre o tema, bem como de ações específicas em cada estado.
Por sua vez, a mesa redonda “Experiências editoriais” tem como objetivo discutir as experiências editoriais baianas e nordestinas com o sentido de encontrar diagnóstico para a situação do pouco desenvolvimento da indústria do livro no Nordeste, bem como propor soluções e sugestões para um Plano Estadual do Livro e da Leitura/Lei Estadual do Livro e da Leitura. Nesse debate, o único editor não baiano a participar da mesa é Adaberto Franklin.
A Ética Editora, dirigida por Adalberto Franklin, tem mais de 300 títulos publicados, e vem se destacando como uma das mais produtivas casas publicadoras do Nordeste.

1 Response to "ADALBERTO FRANKLIN"

  1. Eneas Rocha says:

    Parabens ADALBERTO, a Ética representa um marco´é um patrimônio inquestionável da nossa cultura.

Tecnologia do Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme