GREVE I

A greve da saúde foi suspensa, pois o sindicato da categoria decidiu por acionar a justiça em busca de arbitramento de dissídio coletivo da categoria. Pesou também a decisão da justiça de manter grevistas com distância de 500 metros de hospitais públicos e da secretaria de saúde. É a mão pesada do Governo Madeira contra o funcionalismo em luta por melhores salários, que com assessoria de um especialista em luta sindical, sabe bater no fígado dos grevistas. Com a palavra o sindicato. E a educação, como anda a situação?

6 Response to "GREVE I"

  1. Eliane says:

    Nem acho que foi tanto o mérito do "especialista". Acho que a greve já era um fracasso por falta de apoio da categoria que não atendeu ao apelo de lideranças pouco convincentes como a mulher e a sogra do Pitol. Dizem também que a presidente do Sindicato não reivindicava nada no tempo do Ildon Marques, o que nisso alguns enxergam o viéis partidário.Dizem também que ontem antes de decretarem o fim da greve o número de grevistas se reduzia mais ainda, então com medo do fiasco ser maior resolveram recuar e pelar para o tal de dissídio coletivo, coisa que deveriam ter fito logo que receberam a negativa de atendimento ás suas reivindicações e não partir para o deboche e outras palhaçadas como fazer enterro do prefeito e da secretária, perdendo ainda mais apoios ao movimento. O povo não gostou daquilo, pode ter certeza, estive por lá e ví muita gente do próprio movimento meio envergonhada...
    É assim a nossa Imperatriz, sempre uma confusão. Esperemos agora a da educação que segundo dizem vem por ai.

    Carlos Antonio says:

    professor, por falar em greve quando será que a maravilhosa maquina do governo do estado vai pagar os professores que entraram no ultimo concurso? Minha mulher esta a 3 meses trabalhando diariamente e até hoje nao recebeu 1 centavo. Alem disso tem diretores e dirigentes da secretaria de educacao do estado fazendo terror com todos dizendo que por estarem em periodo probatorio ninguem pode exigir ou reivindicar coisa alguma. Mas nao passaram num concurso? que periodo probatorio é esse? Como fica isso? Quando o sindicato ou alguem vai dar voz a esses professores? Pra continuar no trabalho é pra passar fome calado e soltando foguete? Esse é o governo do estado...100% virtual!

    Avaliação perfeita. Daniel Souza, com toda a experiência de quem já esteve do lado de cá, forçou a categoria a entrar em dissídio coletivo. Com isso acaba a greve e a justiça tende a dar ganho de causa ao governo municipal.
    Onde está o combatente e irresignado Daniel? Se aliançou, como dizia aquela musica de Parintins?

    Olá Isnande.
    Solicito seu apoio na publicação deste release. Você está convidado para a reunião.
    Saudações,
    Ed Wilson

    RÁDIOS COMUNITÁRIAS PREPARAM ENCONTRO NO SUL DO MARANHÃO

    Representantes de emissoras comunitárias de Imperatriz e região reúnem-se nesta quinta-feira 24, às 10 horas, no campus da UFMA, para iniciar a organização do I Encontro de Rádios Comunitárias do Sul do Maranhão.

    A reunião será coordenada pelo professor da UFMA e jornalista Ed Wilson Araújo, integrante do Movimento de Rádios Comunitárias; e pela professora Roseane Arcanjo, coordenadora do Curso de Jornalismo do campus de Imperatriz.

    Estão convidados profissionais e estudantes da mídia impressa e audiovisual, entidades dos movimentos sociais, poder público, artistas e ativistas interessados em participar da organização das rádios comunitárias na perspectiva de democratizar o acesso e a produção de conteúdos nos meios de comunicação.

    O encontro das emissoras do Sul do Maranhão será realizado no final de julho ou começo de agosto, como parte do calendário de eventos regionais organizados pelo Movimento de Rádios Comunitárias. Em 10 de julho será realizado o seminário regional dos Lençóis-Munim. No dia 17 está previsto o encontro na regional Cocais.

    As etapas regionais precedem o congresso estadual, previsto para o final de agosto, quando estarão reunidas cerca de 300 emissoras de todas as regiões do Maranhão.

    O principal objetivo do congresso é revitalizar a seção estadual da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço). A entidade foi criada no Maranhão em 1998, mas desde 2002 está desativada.

    Um dos fundadores da Abraço no Maranhão, o jornalista Ed Wilson Araújo afirma que a revitalização da Abraço é uma bandeira dos movimentos sociais atuantes na luta pela democratização da Comunicação, fortalecida com o engajamento dos professores e estudantes de Jornalismo, Rádio e TV e Relações Públicas.

    “Ed Wilson destaca a região tocantina como um pólo estratégico para a organização das emissoras comunitárias. Queremos reestruturar a Abraço de forma descentralizada, de modo que todas as emissoras do Maranhão estejam representadas”, explica.

    RÁDIOS COMUNITÁRIAS PREPARAM ENCONTRO NO SUL DO MARANHÃO

    Representantes de emissoras comunitárias de Imperatriz e região reúnem-se nesta quinta-feira 24, às 10 horas, no campus da UFMA, para iniciar a organização do I Encontro de Rádios Comunitárias do Sul do Maranhão.

    A reunião será coordenada pelo professor da UFMA e jornalista Ed Wilson Araújo, integrante do Movimento de Rádios Comunitárias; e pela professora Roseane Arcanjo, coordenadora do Curso de Jornalismo do campus de Imperatriz.

    Estão convidados profissionais e estudantes da mídia impressa e audiovisual, entidades dos movimentos sociais, poder público, artistas e ativistas interessados em participar da organização das rádios comunitárias na perspectiva de democratizar o acesso e a produção de conteúdos nos meios de comunicação.

    O encontro das emissoras do Sul do Maranhão será realizado no final de julho ou começo de agosto, como parte do calendário de eventos regionais organizados pelo Movimento de Rádios Comunitárias. Em 10 de julho será realizado o seminário regional dos Lençóis-Munim. No dia 17 está previsto o encontro na regional Cocais.

    As etapas regionais precedem o congresso estadual, previsto para o final de agosto, quando estarão reunidas cerca de 300 emissoras de todas as regiões do Maranhão.

    O principal objetivo do congresso é revitalizar a seção estadual da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço). A entidade foi criada no Maranhão em 1998, mas desde 2002 está desativada.

    Um dos fundadores da Abraço no Maranhão, o jornalista Ed Wilson Araújo afirma que a revitalização da Abraço é uma bandeira dos movimentos sociais atuantes na luta pela democratização da Comunicação, fortalecida com o engajamento dos professores e estudantes de Jornalismo, Rádio e TV e Relações Públicas.

    “Ed Wilson destaca a região tocantina como um pólo estratégico para a organização das emissoras comunitárias. Queremos reestruturar a Abraço de forma descentralizada, de modo que todas as emissoras do Maranhão estejam representadas”, explica.

    Anônimo says:

    REFERENTE AO COMENTARIO DA ELIANE SE VER QUE ELA ERA UMA DAS PELEGAS NOMEADA DO PREFEITO QUE ESTAVAM POR LA , TENTANDO ACEDIAR OS TRABALHADORES QUE SE MANTIVERAM FIRMES PARA DECEPÇÃO DO GESTOR E SEU BANDO,VOCÊS ESTÃO HA QUINZE DIAS TENTANDO PASSAR QUE FOI UMA GREVE FRACASSADA E NÃO CONSEGUEM SABE PORQUE? PORQUE O BAQUE NESTE GOVERNO DITADOR E PESSEGUIDOR FOI MUITO GRANDE.
    ISSO É SO O COMERÇO , IMAGINEM QUANDO O PODRIDÃO DESTE GOVERNO COMERÇAR VI A TONA , COM QUE CARA PUXASACOS COMO VOCÊ VÃO FICAR EM?

    ANA MARIA CARDOSO.

    TECNICA DE ENFERMAGEM

Tecnologia do Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme