VEREADORA RECLAMA

Segundo reportagem do jornal Correio Popular, a vereadora Fátima Avelino reclamou em sessão da CMI, que sua mãe foi destratada por médicos que prestam serviço no Hospital Municipal de Impeartriz, quando a mesma foi levada para se submeter a um exame de tomografia computadorizada. Se a família de uma vereadora passou por esse constrangimento, imagina a de um cidadão sem mandato, que não pode ligar para o prefeito e reclamar  do atendimento recebido.
http://www.jornalcorreiopopular.com/?p=7572&utm_source=twitterfeed&utm_medium=facebook

11 Response to "VEREADORA RECLAMA"

  1. Que vereadora mais "MÃO-DE-VACA", tem diversos imóveis alugados pro município, além do que ganha como vereadora há anos e não paga um plano de saúde pra mãe, deixando-a a mercê SOCORRÃO. Filha desnaturada !!!

    Anônimo says:

    No linguajar popular, quase que minha perna foi pro saco no Socorrão.
    O médico que me atendeu mal olhou a radiografia,mal olhou na minha cara e apertou um botão da impressora da qual saiu a medicação (duvidosa).Sem me olhar,estendeu o braço e falou:"tome isso".Da cadeira de rodas tentei puchar um papo, entremeado com uma grande dor,fragilidade e medo.Nada feito...Silêncio...Intui que deveria dar o fora o mais rápido possivel.O enfermeiro, gente boa, deu-me as dicas, gelo 3 vezes ao dia 20 min.
    Sai de lá com esperanças...
    Se não fosse o São Rafael e um empréstimo de um amigo, minha perna iria pras cucuias.Havia uma fratura...Das boas!!!
    40 anos servindo minha Pátria e meu povo da escola pública dentro de salas de aula, veio-me a mente um pensamento de indignação e revolta.Que gente é essa que estudou gratuitamente,com o dinheiro do povo nas estaduais e federais de medicina e se volta contra seu próprio povo?
    Eu sempre procurei dar o melhor de mim.Pagar minha dívida social da escolaridade que recebi de graça.Ser paciente e desprendido com meu povo nordestino,embora ainda me falte muito nessa construção...Mas sempre me vigio, me observo.O que estou fazendo,como estou agindo?...Diferente do doutor que me recebeu.
    Fraterno abraço Isnande!
    prof.Magno Urbano

    Anônimo says:

    Por parte amigo, só o socorrão pode fazer este atendimento?, que uma paciente do São Rafael obrigatoriamente tem que ser atendido la, é isso? Que a vereadora tambem disse. Então não estou entendendo nada. Primeiro o socorrão dizem que não presta, segundo esta vereadora tem um patrimonio considerável. acho que a mãe dela não. Mais ela deveria mesmo ser punidada por levar a mãe para um hospital publico quando pode dar algo melhor para sua genitora.

    Regina says:

    O atendimento à saúde tem que ser universal´. É um direito de todos. Independente de qualquer coisa tem que funcionar. E funcionar bem. O que me estranha é o silêncio da vereadora em relação ao atendimento à saúde. Se aconteceu com a sua mãe,imagine o que não acontece com as pessoas comuns. Foi preciso acontecer com a sua mãe para que ela se pronunciasse à respeito. E ainda tem mais um agravante, ela está reclamando do tratamento dado à sua mãe e nâo ao tratamento dado ao cidadão que procura o sistema de saúde, independente de ser sua mãe ou não.
    Quer dizer, que se a sua mãe tivesse sido reconhecida e tivesse sido tratada bem, não teríamos nenhum pronunciamento da vereadora à respeito do atendimento à saúde no hospitão municipal de Imperatriz. Na verdade estamos muito mal representados.

    Tenho informações que dizem que o problema foi a carterada que a vereadora deu nos médicos, a mesma ficou chateada quando um deles lhe informou que não seria necessário status para que ele fizesse um bom atendimento. Detalhes no blog professor.

    Anônimo says:

    Sr.Anônimo, não entendi lufras de bulhufas o tal "vamos por parte" e outros quetais.Daria pra explicar melhor?

    prof.Magno Urbano

    Anônimo says:

    Seria bom que acontecesse isso com a mãe de todos os vereadores. Nos tempos do Jomar nunca aconteceu isso.

    Anônimo says:

    O Socorrão não é um lugar muito confiável para ir...Na farmácia do Ambrósio as pessoas são mais bem recebidas.

    A coisa também é complicada no Socorrinho Infantil.Lá existe um corredor de 9 por 2 metros onde ficam crianças tomando soro.Há um banco de madeira, onde mães e crianças permanecem um dia ou mais sentados.Na parede por detrás das pesssoas existem 12 ganchos onde os frascos de soro são presos.Algumas crianças sentam no chão, outras no colo da mãe, outros no banco de madeira.Bebês choram, crianças gemem...As patologias se misturam.Pneumonia,diarréias,hepatites,viroses.No ar há um cheiro de suor, vômito, fezes.Moscas vagam animadas diante de tal praça de alimentação.

    As enfermeiras fazem das tripas coração.São combatentes de um hospital de guerra...Ora ou outra truculentos seguranças passam em revista para ver se há algum pai acompanhando o filho e a mãe ( é nessa hora eu me escondo no banheiro embora saiba que logo logo serei "gentilmente"expulso pelos gorilas da saude infantil do Dr.Madeira).

    Ganho a rua, vou carregando nos meus passos a lembrança do meu filho, o bandeco que deixei para o almoço, o rosto das mães da periferia, tristes,abulicos, conformados, formando no ar um imenso ponto de interrogação como se estivessem falando: "karaio que porra é essa mermão?...O ke ke hé iço???

    Por outro lado o Padre Quevedo diria:IÇO NON ECZISTE!!!!!!!!!!!!

    Meninos eu vi essa porra eu vi!!!

    Borduna de Babaçu Bolchevique

    Anônimo says:

    Karo fessor, algu me dis que ece tropico vai longe

    Tussiname Tremi Terra( o rei do sonzão automotivo pertubando os otariu)

    Anônimo says:

    isso e o que dar FATIMA AVELINO
    achar que e amiga do prefeito

    Anônimo says:

    O fato é que a Srª Vereadora Fátima Avelino realmente quis e deu uma "carteirada" a começar pelo SAMU, onde a vereadora ligou de casa solicitando a transferência de sua mãe do Hosp. São Rafael para o HMI, ao ser informado pelo médico plantonista, que para a transferência ser realizada seria necessário que o médico plantonista do São Rafael fizesse a solicitação, com isso, a nobre vereadora se sentiu ofendida, pois achava que por ser vereadora merecia tratamento preferencial, ou seja poderia burlar os protocolos do serviço, não satisfeita ligou para o prefeito, que ligou pessoalmente no samu fazendo ele a solicitação da transferência.
    Ao chegar no HMI, de cara a nobre vereadora, disse:"Dr. quero que faça uma tomografia de minha mãe". O médico perguntou a ela: A senhora é médica? ela respondeu: Não sou a Vereadora Fátima Avelino. O médico prosseguiu: Pois eu sou médico, aguarde lá fora.
    Na minha humilde opinião, ela mereceu a resposta, não tinha que fazer o estardalhaço que fez.

Tecnologia do Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme