UFI - MMA EM IMPERATRIZ

Ultimate Fighting Imperatriz (UFI) leva cinco mil pessoas ao centro de convenções
Por Guilherme Barros
Casa superlotada, um barulho ensurdecedor e torcida em uníssono. Essas são algumas das imagens que retratam a primeira edição do Ultimate Fighting Imperatriz (UFI). Realizado no último dia 27, é resultado da parceria entre academias do município com apoio de empresários, figuras políticas e associações da região.
O UFI, realizado no centro de convenções, tem em seu nome uma referência ao evento internacional de MMA, o UFC. Mixed Martial Arts é a denominação da nova prática esportiva que substitui a idEia da “luta livre”, prática que estava ligada a combates sangrentos e bastante violentos. O MMA surgiu com uma postura mais esportiva, com muitas regras e restrições de golpes, preocupando-se com a integridade física dos atletas, resultando em um espetáculo mais “limpo” e maior durabilidade da carreira dos atletas.
As lutas acontecem em um octógono cercado por uma grade (devido a isso que alguns eventos nacionais de MMA usam o termo “jaula”) e a partir daí é montada a estrutura de mesas e assentos. Segundo a organização, cerca de cinco mil pessoas assistiram ao evento (incluindo as mesas) e a arquibancada em formato de U, que cercava o octógono, permaneceu lotada do início ao fim. No card de lutas do UFI tivemos oito confrontos. Apenas um entre garotas, lutando MMA, Thaís Santana, imperatrizense de 21, enfrentou a carioca Luciana Pereira, 30. Thaís aceitou o confronto mesmo depois da adversária ter sido desclassificada por estar 10kg acima da categoria e acabou sendo finalizada no segundo round. Das sete lutas masculinas, duas eram na modalidade K1(mistura entre algumas artes marciais lutadas em pé, como o karatê, kickboxing, muay thai, taekwondo...). Tássio Santos, 28, enfrentou Carlos Tropeço de apenas 18 anos que venceu por decisão unânime. A outra luta de K1 foi o embate entre os naturais de Belém, Noé de Mello (atualmente lutando por Imperatriz) e Paulo Irmão (atualmente lutando por Açailândia).
Paulo também venceu por decisão unânime dos árbitros.
Atletas em ação.
Foto: Guilherme Barros
No MMA masculino lutaram: Márcio Sarigracie x Éderson Dig Dig(vencedor); Samuel Tesoura x Josean Pezão (vencedor); Fernando Huntaro (vencedor) x Romilson Gobila; Manassés Mano Bral (vencedor) x Waltervi Nascimento; Adilson Veneno(vencedor) x Jeferson Cabeça. O organizador do evento, Rafael Duplex, ficou muito satisfeito com os resultados da primeira edição do UFI. “Em Maio a gente pode realizar outro desses. E melhor ainda, vão ser dois dias de lutas!”. Além de promover o esporte, o trabalho das academias e o empenho de seus treinadores, o UFI tenta desligar do MMA a imagem de “violência gratuita”. Os lutadores são profissionais treinados e se respeitam. No final das lutas, os atletas se abraçavam e se parabenizavam. Todos estavam ali pelo esporte, todos estavam ali pelo show. 

1 Response to "UFI - MMA EM IMPERATRIZ"

  1. Anônimo says:

    Foi um evento belissimo, o público compareceu em peso. É um esporte e emoção e respeito. Isnand, fiz um clip dos melhores momentos da luta. Postei no face. abraço
    Ivanildo Tavares

Tecnologia do Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme